30 agosto 2013

O "SUJÍMETRO" de Lisboa

Quando a oposição não tem ideias, nem muito por onde pegar, entra em cena o "sujímetro" - aparelho rudimentar, calibrado 100% pelos próprios e oleado a subjectividade. 
O "sujímetro" imprime relatórios "precisos" do estilo: "A Cidade anda muito suja" ou "A Cidade está mais suja do que antes"... 
Quem usa o "sujímetro" sente-se confortado com o equipamento. É que nunca falha! 
Mas para dados mais objectivos sobre limpeza urbana contam sim o aumento de meios humanos e materiais na limpeza urbana e a melhoria de todos os indicadores de recolha e reciclagem de resíduos, a implantação do sistema de recolha porta-a-porta a mais de 50% da Cidade, o aumento do número de lavagens de rua e as brigadas de limpeza anti-grafitti rua-a-rua. 
Claro que não há nem haverá um "Almeida" atrás de cada cidadão que entende não ser respeitoso com o espaço comum. 
Amigo, empreste-me aí o seu "sujimetro": Então aqui vai: Felizmente em Lisboa, e em comparação com algumas Cidades Europeias, e sobretudo no Verão, a comparação é muito favorável. Temos claramente uma Cidade bem mais limpa que Londres, Paris, Copenhaga, Amesterdão ou Berlim, para não me estender mais.
Foto: AQUI
Nota: Colaboro no Gabinete do Vereador do Ambiente e Espaços Verdes da CML

3 comentários:

  1. Sigo este blog desde que nasceu e normalmente partilho das opiniões em muitas matérias. Mas este post é claramente atirar areia para os olhos de quem lê e isso não calha nada bem...
    Claro que não tenho, ninguém tem (nem a CML!!!) forma objetiva de comprovar o aumento (ou a diminuição) da sujidade nas ruas de Lisboa. Mas é por demais evidente que a cidade está sujíssima e dizer o contrário é apenas tentar contrariar as evidências. Então a história de termos uma cidade mais limpa do que Londres, Paris, etc, é claramente abusiva. Se temos mais meios, mais rotinas de limpeza, do que essas cidades, isso é outra história. Pode até ser verdade. Mas se for só significa que esses meios são pouco eficientes ou estão a ser mal usados...
    Se quiser, terei todo o gosto em enviar fotos da minha rua, ou de qualquer uma outra rua do centro, para que possa comprovar o estado lastimável da cidade neste campo - ruas cheias de lixo, tags e graffittis por todo o lado, cartazes e autocolantes publicitários nos sítios mais incríveis. Sinceramente acho que neste campo da limpeza pior seria difícil...
    Envio desde há muitos meses (talvez anos) e-mails à CML sobre este assunto, e sei que outros também o fazem, mas por um qualquer motivo não há solução à vista...
    Peço desculpa se me excedi mas se há de facto tema que me é caro é o da limpeza urbana...

    ResponderEliminar
  2. Realmente é muita demagogia junta. Qualquer turista que visita Lisboa aponta o lixo nas ruas como principal problema. É só consultar os dados do Turismo de Lisboa.

    ResponderEliminar
  3. Caro Luís Filipe, essa comparação com outras cidades é uma opinião minha "à sujímetro", mas olhe que conheço bem as cidades que visitei e, sobretudo no Verão, o lixo é imenso por lá e é até motivo de grande discussão (vide polémicas em Berlim sobre o assunto).
    Caro anónimo, aproveito para lhe dizer que os turistas (e residentes) queixam-se dos grafitis (refiro-me ao que vulgarmente se designa por "tag"), que são encaixados na categoria "limpeza" e que são um cancro pois estão em qualquer lado, seja monumento, mobiliário, etc. Mas lixo e tags são coisas diferentes e quanto aos primeiros mantenho os dados positivos em todas as áreas (consultáveis no site da CML). Quanto aos segundos, já se notam e de que maneira os resultados das equipas "anti-grafiti" que trabalham rua-a-rua desde há uns meses.
    Agora que ninguém tenha dúvidas: se cada pessoa quiser fazer um tag num monumento ou atirar o seu cigarro para o chão, dificilmente a cidade estará um brinco, pese embora os milhões investidos em meios humanos e materiais.

    ResponderEliminar