11 março 2013

Requalificação da Alameda da Universidade

Já na campanha para as eleições autárquicas de 1997, quando acompanhei António Abreu a uma reunião na  Universidade de Lisboa com as Associações de Estudantes das escolas da Universidade, os estudantes queixavam-se da autentica auto-estrada que atravessa a Cidade Universitária, com evidentes problemas de segurança, de poluição (sobretudo sonora), e tornando a alameda da universidade num sítio desagradável para se estar.

Há cerca de 3 anos foram feitas importantes obras de requalificação nas laterais da alameda. Os taludes, mais ou menos abandonados, serviam para estacionamento desordenado. O estacionamento foi retirado e foram criados caminhos pedonais e cicláveis... Ainda assim, não há obra de requalificação que possa resultar bem ao lado da omnipresente auto-estrada, com o ruído incessante dos pneus na estrada, dos motores e das buzinas, que se insiste em usar, apesar de serem proibidas dentro das localidades pelo código da estrada.


São por isso muito bem vindas as obras que começaram hoje na zona e que segundo as notícias pretendem condicionar o transito dentro do Campus, bem como eliminar o parque de estacionamento em frente à reitoria e criar uma esplanada.

Uma esplanada ao pé de uma auto-estrada, como hoje temos, seria impossível resultar, mas a dinâmica de convívio e circulação de pessoas que o projecto - apresentado no âmbito do Orçamento Participativo - pode proporcionar aquela zona, pode ter efeitos positivos não só na Alameda, mas até por ali abaixo, para o jardim do Campo Grande, um dos mais notáveis da cidade, mas também abandonado porque rodeado de faixas de rodagem, com transito de alta velocidade.



Face a estas boas notícias, Carlos Barbosa, presidente do ACP, decide expor em público uma vez mais a sua boçalidade:  «É evidente que é uma estupidez completa, só uma pessoa muito incompetente como é o caso de Manuel Salgado é que pode continuar a fazer estas parvoíces todas na cidade de Lisboa».

Estas e outras declarações não são só motivadas por interesses partidários.

É sabido que Carlos Barbosa foi candidato à CML pelo PSD e fez sempre oposição ao executivo camarário, utilizando às vezes os próprios meios do ACP para o efeito... Mas obviamente que o PSD não olha para a cidade como um gigantesco parque de estacionamento, atravessado por vias rápidas por todos os lados... O que aqui temos é um caso sério de cretinice que os media, claro, aproveitam sempre, como quem aproveita as declarações de Alberto João, na festa do Chão da Lagoa, já com uns copitos a mais.




1 comentário:

  1. Se somarmos os maus fígados que CB ficou a António Costa, quando este último, ainda no cargo de Min.da Administração Interna, lhe anulou um projecto de alguns milhões de Euros, que teria sido ganho pelo ACP, mas com irregularidades...

    ResponderEliminar