27 março 2013

Um problema cultural


Este é o exemplo é típico: De todos os carros enfileirados, só 1 teve o pudor de não estacionar no passeio desta rua de Alfama.

Esse 1 bastou para demonstrar que o facto de estacionar fora do passeio não "atrapalha" o transito: Na verdade, mesmo na hipótese bastante improvável de atravessarem a rua, ao mesmo tempo, 2 veículos em sentidos diferentes, mesmo nessa hipótese, os 2 conseguiriam cruzar-se com bastante espaço, tendo apenas, quanto muito, que abrandar um pouco para fazer a manobra em segurança.

A irracionalidade buçal da decisão da maioria dos automobilistas que ali estacionaram é constrangedora e demonstra como o problema dos carros em cima do passeio é cultural e está fortemente enriazado.

Assim, em relação às opiniões que apareceram neste post, acho que todos têm razão: Não só, infelizmente, a Câmara terá de continuar a gastar balúrdios para proteger a nossa calçada portuguesa, instalando pilaretes (e reparem como no outro lado ninguém estaciona), como será necessário haver uma mudança na mentalidade dos automobilistas e essa mudança tem de começar com a efectiva fiscalização por parte da polícia do estacionamento em cima do passeio...

É que, note-se, a esquadra está mesmo ali ao fundo da rua... 

1 comentário:

  1. Em Algés acontece um fenómeno ainda mais absurdo... há lugares de estacionamento marcados no asfalto, mas mesmo assim, as pessoas colocam os carros estacionados com duas rodas no passeio.

    ResponderEliminar