25 abril 2013

«Todas ao Ministério!»

A estudante alemã que vive cá em casa disse ontem que não percebia porquê que tantos prédios em Lisboa tinham as varandas fechadas. Uma interrogação óbvia que nós, lisboetas, habituados que estamos ao alumínio e vidro nas fachadas da cidade, já não fazemos...

O mesmo se passa com as casas devolutas.


Boa parte dos problemas mais graves da cidade passam directa ou indirectamente pela falta de habitantes. A sangria de mais de 300 mil habitantes nas últimas décadas, motivada na generalidade pelo elevado preço das casas e das rendas, retirou massa crítica a Lisboa que é fundamental reganhar.

É incompreensível que hajam tantos e tantos prédios devolutos em Lisboa, mesmo no centro, quando há, ao mesmo tempo, há tanta gente a querer cá viver, realizar projectos, dinamizar, humanizar e enriquecer a cidade, mas que não pode, por falta de espaços sem ser a preços exorbitantes.

É por isso de valorizar e apoiar a ocupação que hoje foi feita do nº1 do Campo Mártires da Pátria.


Ver mapa maior


Não há desculpas para um edifício daqueles ester fechado há anos, a chover lá dentro, a apodrecer continuamente, a encher-se de esterco, a contribuir directamente para a morte daquela rua, daquele bairro, da nossa cidade...

Se o proprietário não tem condições para assumir a responsabilidade de ter um edifício como aquele no coração de Lisboa, tem de abrir mão - nem que seja por determinado tempo, até ter condições de ter para ali um projecto credível - do direito de ser o único detentor da chave da porta.


4 comentários:

  1. 13- Proposta n.º 177/2008
    Pedido de licenciamento de obras de alteração, ampliação e construção, para o imóvel sito na Rua Câmara Pestana, nº 2 e Rua do Instituto Bacteriológico, nº 1, freguesia da Pena, que constitui o Proc.º n.º 2068/EDI/2005, nos termos da proposta;
    (Aprovada por maioria com 8 votos a favor (6PS e 2CPL), 5 votos contra (2PPD/PSD, 2PCP e 1BE) e 3 abstenções (LCC))

    19- Proposta n.º 183/2008
    Pedido de licenciamento de obra de alteração de interior e exterior com ampliação do imóvel sito no Campo Mártires da Pátria, nºs. 1 e 2, tornejando para a Travessa do Torel e Rua Júlio de Andrade, freguesia da Pena, que constitui o Proc.º n.º 1780/EDI/2005, nos termos da proposta;
    (Aprovada por maioria com 11 votos a favor (6PS, 3LCC e 2PPD/PSD), 1 voto contra (BE) e 4 abstenções (2CPL e 2PCP))

    ResponderEliminar
  2. Em 2007 o grupo reyal urbis comprou o palácio silva amado por 20 milhões de euros para a construção de um hotel de luxo.

    ResponderEliminar
  3. No próprio fim-de-semana a polícia desalojou quem ocupou o palácio abandonado.

    Só são rápidos para o que/quem lhes convém.

    http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Lisboa&Option=Interior&content_id=3187604&page=-1

    ResponderEliminar
  4. Podemos não gostar/identificar com os projectos de Luxo e afins que tantos edifícios tem por fim, mas... o maior problema da nossa cidade chama se CML- São anos a fio para dar respostas aos projectos, entraves sobre entraves e adorava que alguém fizesse um estudo sobre quanto custou aos contribuintes e quanto perdeu a cidade em mais valias pelo facto de as câmaras municipais da área de LX demorarem tanto tempo a darem respostas- Inclusive, estamos a falar de empresas que foram à falência por causa de situações desse género... ASS: João Ferreira

    ResponderEliminar