21 maio 2013

Vejo ali o passeio que falta na 24 de Julho

No Bairro Azul foi assim. Na Duque d´Ávila idem.
O espaço viário é sagrado, mesmo que os peões tenham menos de 1.0m de largura para circular, porque se for retirada uma parte da faixa de rodagem, o tráfego ficará concerteza congestionado. Tecnicamente afecta a famosa "fluidez" de tráfego...
Isso é assim até ao dia em que é mesmo preciso cortar esses espaço viário para obras. No Bairro Azul foi um estaleiro do metropolitano (hoje espaço pedonal e que permitiu transformar o Bairro numa zona 30km/h), na Avenida Duque d´Ávila por causa das infindáveis obras da linha vermelha do metro, onde não se circulou durante anos, o que permitiu já não voltar a reverter o espaço para o perfil original, sendo hoje uma Avenida reconvertida numa enorme espaço pedonal, ciclovia, esplanadas, e já sem qualquer contestação em matéria de alteração da "fluidez" de tráfego.
Agora vemos na Av. 24 de Julho, entre a Avenida Infante Santo e a Rua de Cascais em Alcântara, devido a umas obras de saneamento, suprimir-se durante várias semanas um espaço que bem falta fazia para ser revertido em passeio pedonal. Mas neste caso já está a ser reposto o asfalto... em breve abrirá na mesma, com o passeio estreito que se vê e com toda a certeza de se ter provado todos estes dias que era possível viver-se sem esta faixa de asfalto.

Sem comentários:

Enviar um comentário